LUCIANE VALENÇA – A EXUBERÂNCIA DE UMA ARTISTA – CRÍTICA de J. TRUGANO


O EQUILIBRISTA PROCURANDO A LONA

A cidade nua transborda a paixão do equilibrista citadino e poético que anda sobre cordas que ligam prédios; uma silhueta de cidade que inclui uma lona de um circo, lua e estrelas penduradas, cenário também poético da arte. A alegria misturada com um cenário que aponta para uma representação da tradição da arte coligada à solidão do artista. A felicidade simplesmente feliz emerge, como de uma criança, nas pinceladas de Luciane Valença, artista plástica da cidade de Niterói, Rio de Janeiro.

 Quantas forem as espécies do sentir adormecidas na nossa alma infantil, tantas serão as pinceladas que farão ressurgir as feições exuberantes de um Brasil quase esquecido, vitimado pelas sonoridades modernas de uma arte pop que expulsa o passado e o lúdico, em troca de uma pouco autêntica variação do vazio geométrico das formas abstratas.

 A arte de Luciane Valença possui conteúdo, possui um sentir, uma pulsão de lembranças boas e felizes que remetem à completude da infância e à grande felicidade de estar vivo e fazer parte deste mundo. Seu conteúdo perfaz sua força, sua exuberância única.

FLORA - LUCIANE VALENÇA

 A simplicidade de seus temas se une a variados padrões de representação gráfica, desde as sinuosas curvas da sensualidade natural dos felinos, às linhas retas que se cruzam para formar a silhueta da cidade.

 Estes estados de alma se fazem anunciar, cada um deles à sua maneira, nos acrílicos sobre tela da artista. Arlequins, Pierrots, pássaros, felinos e borboletas de uma sensualidade ingênua, cheia de candura. Vou além ao observar que o tipo de trabalho realizado por ela nasce de sua ligação com a cidade de Niterói, rica em natureza, mas com todos os elementos típicos das cidades modernas, origem da exuberância de suas cores.

L´AMOUR 80X40CM LUCIANE VALENÇA

 A pomba saída de uma cartola; a borboleta que sobrevoa folhagens coloridas; as ligações nervosas do interior de um crânio pulsando em cores; a face de uma Medusa com madeixas alegres de folhagens e ondas de cabelos coloridos, tudo repercute a ligação da artista com sua cidade e sua infância ali vivida, num exuberante cenário de cores e formas.

O EQUILIBRISTA, A BAILARINA E A MÁGICA DO AMOR  LUCIANE VALENÇA

Jonny Trugano

Para ver mais, acesse: Luciane Valença – Arts

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s